Notícias Portal da Educação de Torres Vedras http://www.educacaotorresvedras.com/noticias Notícias Portal da Educação de Torres Vedras Câmara Municipal voltou a proporcionar férias bem animadas... http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/camara-municipal-voltou-a-proporcionar-ferias-bem-animadas

Umas férias de Páscoa bem animadas, assim foi mais uma edição do programa "Tempo de Férias", que decorreu entre os dias 8 e 18 de abril.

165 participações de crianças residentes no concelho e/ou a frequentar o 1.º ciclo do ensino básico no mesmo foram contabilizadas nesta iniciativa, que proporcionou: visitas (à Fundação Calouste Gulbenkian, à quinta de agricultura biológica da Quinta da Areia, a uma clínica veterinária situada em Santa Cruz, aos eventos Claustrophonia e Pro Santa Cruz, à Campoeste e à Tapada de Mafra), atividades desportivas dinamizadas pela Associação de Educação Física e Desportiva de Torres Vedras, atividades lúdicas no Vimeiro Clube Aventura, atividades levadas a cabo por serviços educativos municipais (Quero Ser Cientista, do Centro de Educação Ambiental e do Museu Municipal Leonel Trindade), um workshop de pastelaria saudável na ESCO (Escola de Serviços e Comércio do Oeste) e sessões de cinema no Arena Shopping.

]]>
Brincar de Rua em Torres Vedras http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/brincar-de-rua-em-torres-vedras

O Brincar de Rua é um projeto que está a permitir que as crianças voltem a brincar em segurança nas ruas dos seus bairros, através da criação de grupos comunitários de brincar: que proporcionam espaços e tempos de brincar livre, de desenvolvimento natural de competências nas crianças; que promovem o envolvimento dos diversos agentes locais, melhorando a coesão e participação das comunidades; e que valoriza as pessoas do bairro para se tornarem líderes do projeto comunitário, através dum conjunto inovador de metodologias, recursos e ferramentas que garantem a segurança das crianças e o envolvimento da comunidade.

Criado pela Ludotempo (Associação de Promoção do Brincar) e reconhecido pela Fundação Calouste Gulbenkian como um dos dez melhores projetos nacionais de 2016 com o prémio FAZ IOP, o Brincar de Rua chegou a Torres Vedras com o apoio da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Na Cidade foi criado um grupo comunitário de brincar que se reúne todas as quartas-feiras, das 17h30 às 19h30, no Parque Verde da Várzea. Cada grupo é constituído por um número máximo de 15 crianças, com idades entre os 5 e os 12 anos, que vivem na mesma zona ou frequentam a mesma escola e que são monitorizadas por pelo menos dois voluntários devidamente formados e certificados pelo projeto, responsáveis por garantir a segurança do grupo e gerir todo o processo, enquanto as crianças brincam. 

Os interessados podem se juntar ao grupo comunitário do Parque Verde da Várzea ou vir a integrar um novo grupo comunitário de brincar.

 

Inscrições para voluntários aqui

Inscrições para crianças aqui

 

Contactos

Telefone: 244845535

E-mailbrincarderua.ludotempo@gmail.com

Site http://brincarderua.ludotempo.pt/ 

Facebook

]]>
ESCO | Alunos do Curso de Cozinha participam em sessão de filmagens para a RTP http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/esco-alunos-do-curso-de-cozinha-participam-em-sessao-de-filmagens-para-a-rtp

No passado dia 8 de março, os alunos da ESCO tiveram a oportunidade de participar em mais uma atividade muito especial: filmagens para uma peça da RTP sobre a profissão de cozinheiro.

O Restaurante Duas Quintas, na Ribaldeira, foi o cenário escolhido e o Chef Fernando Gonçalves o responsável por este tão prazeroso convite aos nossos alunos Hugo Ribeiro e o Luís Santos, finalistas do Curso Técnico de Cozinha/Pastelaria, da Turma CP6.

Reunidos os “protagonistas”, estes rapidamente formaram uma equipa e, durante algumas horas, confecionaram e emprataram diversas iguarias da carta do restaurante.

A recolha de filmagens destinava-se a produzir um separador sobre a profissão de cozinheiro que irá passar na RTP1, durante um ano, entre os vários programas da sua grelha de emissão.

A não perder!



ESCO | Gabinete de Comunicação

]]>
ESCO | Alunos do Curso Técnico de Turismo recebem grupo de visitantes holandeses http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/esco-alunos-do-curso-tecnico-de-turismo-recebem-grupo-de-visitantes-holandeses

os passados dias 18 e 19 de março, a Turma T7, 1º ano do Curso Técnico de Turismo e a equipa pedagógica responsável, constituída pela Coordenadora de Curso, Marta Matos, e pela Diretora de Turma, Carla Tourita, foram responsáveis pelo acolhimento de um grupo de visitantes oriundos da Holanda, mais concretamente da cidade de Middelburg, na região de Zeeland.

O grupo de visitantes era proveniente da escola SCALDA e era constituído por 20 alunos do 2º ano do Curso Técnico de Turismo e 2 professores acompanhantes.

Estes dois dias de visita foram dedicados, numa primeira fase, ao conhecimento da ESCO e do seu espaço e, posteriormente, à visita a recursos turísticos previamente selecionados nas regiões da Ericeira (reconhecimento geral da zona costeira e principais praias, Posto de Turismo e Centro de Interpretação da Reserva de Surf); de Santa Cruz (Noah Surf House e reconhecimento da zona costeira adjacente - Santa Rita e Vimeiro) e ainda de Peniche (aula de surf, Ilha do Baleal, Fortaleza de Peniche, Cabo Carvoeiro e visita à Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar- Instituto Politécnico de Leiria).

Esta visita técnica inseriu-se no âmbito das atividades planeadas no contexto do Projeto Integrador da Turma, denominado de "Meeting Point | Tourisme Rendez-vous", que tem como principais objetivos (1) promover experiências de multiculturalidade, (2) o desenvolvimento das competências de comunicação dos alunos em idiomas estrangeiros (em particular o inglês e o francês) e ainda (3) o desenvolvimento de competências técnicas relacionadas com o perfil de saída curso, nomeadamente, a pesquisa e seleção de informação sobre recursos turísticos de uma região, a elaboração de itinerários, o desenvolvimento de guiões de apoio a visitas guiadas e ainda o desenvolvimento de material promocional alusivo ao programa de atividades proposto.

Assim, e depois de vários meses de trabalho em sala, no contexto de diferentes módulos, para preparação desta visita, foi momento de colocar em prática as atividades selecionadas e de desenvolver competências sociais e técnicas inerentes à gestão do grupo de visitantes.

A expectativa por parte da Turma T7 era muito elevada neste que foi um primeiro grande momento de exposição e de colocarem à prova alguns dos conhecimentos entretanto adquiridos neste primeiro ano de formação.

No entanto, findos os dois dias de visitas, o grupo de visitantes foi unânime na demonstração da sua grande satisfação com o itinerário proposto e o envolvimento dos alunos.

]]>
Torres Vedras recebeu a segunda semana de formação do projeto http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/torres-vedras-recebeu-a-segunda-semana-de-formacao-do-projeto

O Município de Torres Vedras acolheu os parceiros do projeto europeu “Moving and Learning Outside - MLO”, entre os dias 18 e 22 de março, para a segunda semana de formação dos educadores de infância envolvidos na iniciativa.

Os trabalhos tiveram início na Faculdade de Motricidade Humana com a observação de uma aula prática orientada pelo professor Carlos Neto e uma palestra dada pelo mesmo sobre o tema “Moving and Learning Outside: The Joy of Play”.

Durante a formação foram colocadas em prática, com as crianças do Jardim de Infância da Conquinha II, algumas das atividades que farão parte do manual que irá resultar do projeto. Esta experiência permitiu às crianças passar mais tempo ao ar livre, a brincar sem os habituais limites que lhes são impostos. Já para a equipa do jardim de infância esta foi um oportunidade para ficarem a conhecer uma estratégia educativa diferente, que privilegia o brincar e o contacto com a natureza. 

O próximo encontro está marcado para setembro, na Croácia, onde será avaliado o resultado da aplicação das atividades.

O projeto “MLO” nasceu de uma candidatura ao programa Erasmus+ e procura promover novas estratégias educativas onde o movimento e o usufruto do espaço exterior seja nuclear para o desenvolvimento global das crianças em idade pré-escolar.

]]>
Fruta é também distribuída gratuitamente em Jardins de Infância http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/fruta-e-tambem-distribuida-gratuitamente-em-jardins-de-infancia

A distribuição gratuita de fruta aos alunos do 1.º ciclo do ensino básico público do concelho foi alargada este ano letivo pela Câmara Municipal ao ensino pré-escolar.

Recorde-se que no concelho a distribuição gratuita de fruta e produtos hortofrutícolas a alunos do 1.º ciclo do ensino básico dos estabelecimentos de ensino público tem lugar desde o ano letivo 2009/2010, com o objetivo de introduzir ou reforçar hábitos de alimentação saudáveis que contribuam para o combate à obesidade reduzindo a “densidade energética” da dieta, para além da proteção relativamente às doenças cardíacas, cancro e diabetes.

Embora não seja uma iniciativa abrangida pelo regime escolar e pelas regras de atribuição de ajudas comunitárias, a Câmara Municipal decidiu alargar a distribuição gratuita de fruta aos alunos do ensino pré-escolar.

Neste projeto dá-se preferência, sempre que possível, à inclusão de produtos locais devido ao conhecimento dos produtos e da sua proveniência.

Dá-se também preferência aos produtos da época, como por exemplo as cerejas, as uvas, as ameixas e os pêssegos.

Nesta iniciativa opta-se exclusivamente por produtos frescos, de fácil consumo em espécie, devidamente acondicionados, de modo a serem respeitados os preceitos higino-sanitários.

Os produtos são distribuídos dois dias por semana, em dias distintos, durante 30 semanas por ano letivo, sendo entregue a cada criança uma peça ou porção. São elegíveis: maçã, pera, clementina, tangerina, laranja, banana, cereja, uvas, ameixas, pêssego, cenoura e tomate.

456 crianças do ensino pré-escolar público do concelho usufruem agora de distribuição gratuita de fruta, para além de 2.867 alunos do 1.º ciclo do ensino básico.

]]>
Projeto de Residências Artísticas levou a música até ao Centro Educativo de Runa http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/projeto-de-residencias-artisticas-levou-a-musica-ate-ao-centro-educativo-de-runa

O Centro Educativo de Runa participou no projeto “R-A Residências Artísticas | 2018-19”, que culminou numa apresentação pública no átrio do Edifício da Câmara Municipal de Torres Vedras, no dia 22 de março. O objetivo do projeto foi incorporar as práticas artísticas no quotidiano das crianças, promovendo o gosto pela arte e a criação de hábitos culturais.

Durante uma semana, a pianista Gabriela Canavilhas realizou um trabalho sistemático com os alunos e o professor da turma de 1.º e 3.º ano de escolaridade deste centro educativo do Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, no sentido de desenvolver o conhecimento musical, bem como promover a aprendizagem e experimentação do processo de criação artística no domínio instrumental. A pianista trabalhou com os alunos um andamento da Sinfonia dos Brinquedos e três canções que foram apresentadas na ocasião.

Gabriela Canavilhas destacou a importância deste projeto “que ocorre um pouco por todo o país, normalmente, nas escolas mais pequeninas e nos sítios mais desfavorecidos”, relembrando que “os Ministérios da Educação e da Cultura não estão esquecidos do papel inclusivo que as artes desempenham na construção dos indivíduos”.

A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino, considerou que este projeto mostra a "importância e a centralidade das artes na educação" para uma formação integral dos alunos. Já o diretor de Serviços de Desenvolvimento Curricular da Direção Geral da Educação, Hélder Pais, deixou o desafio para que esta “não seja uma experiência de uma semana, mas a vivência da escola”.

Na ocasião, estiveram também presentes António Proença, representante da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares – DgesTE, Vítor Teodoro, diretor do Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, e Joaquim Jorge, adjunto da secretária de Estado da Cultura.

O projeto “R-A Residências Artísticas | 2018-19”,  que tem por objetivo incorporar as práticas artísticas no quotidiano das crianças do 1.º ciclo do ensino básico, está integrado no Programa de Educação Estética e Artística, da Direção-Geral da Educação, em articulação interministerial com o Ministério da Cultura.

]]>
Torres Vedras acolheu encontro da Rede de Transferências de Biocantinas http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/torres-vedras-acolheu-encontro-da-rede-de-transferencias-de-biocantinas

O 2º Encontro Transnacional da Rede de Transferência de BioCantinas decorreu em Torres Vedras, de 19 a 21 de março, subordinado ao tema “Oferta e Procura de Produtos Biológicos”. O encontro reuniu os vários parceiros deste projeto europeu que visa transformar as cantinas dos jardins de infância e das escolas do 1º ciclo do ensino básico em biocantinas, garantindo, desta forma, a integração de alimentos de origem biológica.

O programa da visita foi composto por várias sessões relacionadas com o tema, nas quais participaram os parceiros do projeto e atores locais, nomeadamente produtores biológicos, associações locais de agricultores, associações de pais, coordenadores de escolas, professores, educadores, auxiliares que acompanham os alunos durante as refeições, cozinheiras municipais e instituições privadas de solidariedade social responsáveis pela confeção das refeições escolares nas freguesias adjacentes à cidade. Com os vários atores locais debateu-se sobre o consumo de alimentos de origem biológica e estratégias para sensibilizar a comunidade e as crianças a adotarem uma alimentação saudável, que inclua este tipo de alimentos.

Durante o encontro realizaram-se também diversas visitas de estudo, que deram a conhecer a realidade local no que respeita às refeições escolares e à produção e comercialização de produtos biológicos.

A Rede de Transferência de BioCantinas pertence ao programa europeu URBACT e visa transferir as boas práticas do Município de Mouans-Sartoux no que toca às refeições escolares para os sete municípios parceiros do projeto: Torres Vedras, Pays des Condruses (Bélgica), Troyan (Bulgária), Trikala (Grécia), Rosignano Marittimo (Itália), e Vaslui (Roménia). Estas boas práticas baseiam-se na distribuição diária de refeições 100% biológicas e compostas principalmente por produtos locais, com medidas ao nível dos refeitórios que permitam a redução drástica do desperdício alimentar, bem como a organização de atividades educacionais específicas que promovam a consciencialização das crianças e famílias no que diz respeito à alimentação sustentável.

Cada encontro transnacional é dedicado a um dos oito módulos do projeto: Exploração Municipal, Micro-Boas Práticas na Cozinha, Oferta e Procura de Produtos Biológicos, Governança Alimentar, Soberania Alimentar, Divulgação e Abertura ao Diálogo, Contratação Pública e Educação Alimentar. O próximo encontro, que decorre de 7 a 9 de maio, em Pays de Condruses, será dedicado ao módulo “Governança Alimentar”.

]]>
29 MAR | TPC, sim ou não?, nas Conversas com Pais http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/29-mar-tpc-sim-ou-nao-nas-conversas-com-pais

Na próxima sexta-feira, 29 de março, o auditório do Edifício Paços do Concelho abre as suas portas às 21h30, para mais uma sessão de Conversas com Pais. 

O nosso convidado, Professor Luís Mestre, vem nos falar acerca do real sentido dos Trabalhos de Casa e, sobretudo, da escola que queremos e dos cidadãos que pretendemos formar para o século XXI. 

Não perca esta sessão!

Mais informações.

]]>
Simpósio "Imprimir Dinossauros" | Sociedade de História Natural http://www.educacaotorresvedras.com/noticia/simposio-imprimir-dinossauros-sociedade-de-historia-natural

Nos próximos dias 12 e 13 de abril irá ter lugar na Sociedade de História Natural, o Simpósio "Imprimir Dinossauros".

 

O mundo virtual, através da obtenção e manipulação de imagens em 3D, conjugadamente com a impressão em 3D trouxeram novas oportunidades a várias áreas do conhecimento e com diferentes aplicações. Desde a investigação científica à museologia, a democratização e aplicação destas novas tecnologias permitem-nos hoje reconstituir ossos de dinossauros, reproduzir e replicar peças culturais com o menor manuseamento dos originais, criar novas formas de produzir in loco materiais de apoio na sala de aula, criar modelos, moldes e protótipos. É um interessante e fascinante novo mundo cheio de oportunidades, que se começa a aplicar também à paleontologia enquanto ciência e aos museus paleontológicos e de história natural, enquanto repositórios de coleções e principais portais do tempo para o público em geral. Com a tecnologia 3D, é hoje mais fácil ter um esqueleto de dinossauro montado do que era à 20 anos atrás. É mais fácil hoje a um professor selecionar e imprimir em 3D os recursos didáticos necessários para a sala de aula, por uma fração do preço que custariam ao obtê-los de outra forma. Por último, mas não menos importante, a impressão 3D permite hoje dar um novo uso a materiais que antes eram descartáveis ou dificilmente recicláveis. A utilização de filamento de plástico reciclado permite uma reutilização desses materiais, e a transformação do mesmo numa utilização mais duradoura: o resultado final de uma peça impressa em 3D num qualquer museu.

 

Este simpósio destaca a colaboração única entre duas instituições (a Sociedade de História Natural e o Naturalis Biodiversity Centre) em torno do conceito de um dinolab público, onde - em frente ao público - é feito um trabalho científico e técnico sobre a construção de um esqueleto de dinossauro a partir de restos fósseis: o Projecto Triceratops 3D. Além do trabalho de preparação dos ossos, também a digitalização e a impressão 3D são usadas para completar partes em falta desses esqueletos. O simpósio destaca os aspectos da colaboração científica e técnica destas instituições na utilização de tecnologia de digitalização e impressão 3D, usando plásticos reciclados para essa finalidade, permitindo a montagem de esqueletos num quadro que capta como eram esses animais. Sendo um tema tão atual, foram também convidados vários oradores que, pela sua experiência no assunto, irão permitir uma discussão mais ampla sobre estas tecnologias e aplicações.

 

Este simpósio aborda os seguintes temas e partilha de conhecimento:

- Digitalização e impressão 3D: utilizações, possibilidades e restrições, state of art e o futuro destas tecnologias;
- Paleontologia e restauro de esqueletos;
- Técnicas e metodologias: Digitalização e impressão 3D;
- O potencial da impressão 3D na educação e no envolvimento do público escolar;
- O 3D aplicado no contexto dos museus.

 

Público alvo:

Este simpósio pretende ser um evento que pretende ser transversal e de fácil percepção para o público em geral. Assim sendo, está aberto a:

- Público em geral com interesse no assunto, profissionais de museus, professores, alunos do ensino secundário e do ensino superior, paleontólogos, arqueólogos, biólogos e outros profissionais.

]]>